O mercado está em contínua mutação, enquanto o consumidor passa por uma mudança significativa de comportamento. Adotar a transformação digital na empresa é essencial para não ficar para trás. Todo o processo é muito mais que a adoção de novas tecnologias ou a mobilização da equipe de TI. Ele envolve modificações estruturais na dinâmica da organização.

Além disso, é essencial mobilizar a humanização para as experiências digitais, colocando o indivíduo como centro — e não a tecnologia ou solução. A proposta da transformação digital é promover qualidade, desempenho e efetividade, sempre com foco em criar uma boa experiência do cliente (seja pessoa física ou no business-to-business) e do colaborador. Para isso, é preciso modificar o mindset da organização e fazer uma verdadeira mudança na cultura corporativa. 

Preparamos este post especial para você entender a transformação digital e saber como adotá-la na sua organização. Continue acompanhando e aprenda mais sobre o assunto!

Entenda o que é transformação digital

Transformação digital é fazer uso de tecnologia digital para a resolução de problemas do negócio, dificuldades essas que são tradicionais e cotidianas da companhia. A informatização pode ser aplicada para melhorar resultados, potencializar o desempenho e ampliar o alcance da marca. Nesse contexto, a tecnologia tem o papel estratégico central, envolvendo também a incorporação de um mindset capaz de se adaptar a esse dinamismo.

Ou seja, toda a estrutura organizacional e o modelo de negócio são repensados e redirecionados, com a revisão de processos e a inserção de novos padrões de comportamento por parte da equipe. Isso porque os profissionais precisam trabalhar de forma colaborativa para a estratégia se concretizar.

Muitos pensam que a transformação digital é exclusiva das corporações que já nasceram inteiramente no meio web, como os e-commerces ou que é tema de interesse de empresas focadas em TI. Mas, na realidade, qualquer organização pode coletar bons resultados com a implementação do processo.  

Além disso, é equivocado pensar que basta aplicar diversas iniciativas digitais que a transformação já está acontecendo. Essas práticas são importantes, mas o processo é mais disruptivo e exige modificações profundas.

O setor de TI tem um papel estratégico no processo, mas ele não é o único impactado e responsável. Todos são afetados e é bom lembrar que a mudança parte do topo. É importante considerar, ainda, que a experiência do cliente deve ser destacada, mas que nem tudo se resume a isso. 

Certamente, no entanto, há uma preocupação com o uso da tecnologia, mas sempre priorizando as pessoas e promovendo a humanização da experiência digital.

Veja os estágios da transformação digital

Podemos dizer que a transformação digital passa por alguns estágios quando ele está acontecendo em um negócio. Vamos esclarecer como essas fases funcionam e, mais à frente, mostraremos de que forma o processo é implementado, mostrando as etapas da implantação. 

O primeiro estágio da transformação digital é a digitalização, em que a informação analógica é convertida em digital. Nela, conteúdos diversos passam para o formato de valores binários, representados por 0 e 1. O segundo momento é a digitalização, na qual há processos de mudanças reais, realizadas a partir da inserção da tecnologia. Há toda uma mentalidade de negócio que embasa o uso da informatização. 

A terceira fase é a transformação digital, que já são as consequências da digitalização na sociedade. Isso envolve mudanças na estrutura econômica, barreiras culturais, criação e alteração de padrões organizacionais, de comportamento e, em alguns casos, até mesmo modificações na legislação.

Saiba por que investir na transformação digital

A transformação digital é importante para a empresa por várias razões. Basicamente, é um processo que já está avançado em muitas corporações, e não se atualizar pode gerar uma grande perda de vantagem competitiva e até o alcance de um estado obsoleto. 

A organização conquista grande flexibilidade operacional com a transformação digital, já que os sistemas de informação ajudam na integração e ganho de agilidade. Os colaboradores são direcionados para atitudes de inovação, colaboração, testagens e entregas incrementais com coleta de feedback. 

O resultado disso é ganho de dinamismo, ampliação de perspectivas, alcance de possibilidades para o desenvolvimento de novas receitas e potencialização da produtividade.  

A experiência do cliente também ganha melhorias. Basicamente, além de se preocupar e coletar o feedback do consumidor, essa dinâmica incorpora também iniciativas de análises de dados, para entender mais sobre o comportamento e as necessidades do cliente. O resultado é uma entrega mais personalizada e de mais qualidade.

Os custos também são otimizados. Isso porque os processos burocráticos e engessados são substituídos por práticas ágeis e efetivas, melhorando a gestão do tempo. Além disso, as operações são realizadas de forma integrada e com menos entraves, ganhando eficiência e sendo menos dispendiosas.

Conheça 10 práticas para adotar a transformação digital

A transformação digital traz várias vantagens para a empresa. Porém, ela precisa ser implementada com cuidado e com as estratégias adequadas. Não basta inserir tecnologia e esperar que a mudança aconteça sozinha, já que o processo é essencialmente baseado na gestão e na modificação sistêmica no negócio. Veja as melhores práticas para adotar a transformação digital na organização a seguir!

1. Avalie as etapas da implementação da transformação digital

A implementação da transformação digital pode ser caracterizada em seis fases. Algumas empresas mais novas tendem a já nascer com um mindset disruptivo, em etapas mais avançadas. De toda forma, é sempre possível evoluir mais. Entenda melhor essas etapas prosseguindo com a leitura!

Etapa 1 — A tecnologia é adotada, mas sem transformar a empresa

Nesse momento, o modelo original do negócio é preservado, sendo que a tecnologia é adotada de forma isolada e adaptada aos processos já existentes. A corporação já percebe o valor da transformação digital, mas não faz uma modificação estrutural e sistêmica. 

Assim, as soluções informatizadas são aplicadas em tarefas operacionais, provocando um relativo ganho de produtividade. Porém, outros resultados não são tão visíveis. A experiência do consumidor, por exemplo, praticamente não é impactada.

Etapa 2 — A tecnologia é assimilada como parte do negócio

O modelo de negócio permanece inalterado. A tecnologia continua sendo aplicada nos processos operacionais e passa a fazer parte da rotina da organização como um todo, sendo expandida para outros setores. Já há resultados mais significativos, como otimização e ganho de produtividade. Nas próximas etapas, a tecnologia alcança lugar de destaque na parte estratégica da corporação.

Etapa 3 – Formação de uma cultura de inovação

A transformação digital só acontece se os colaboradores aderirem à mudança. Essa etapa é a qual se enraíza o mindset de inovação, criando um padrão de cultura organizacional baseado na colaboração, promoção da circulação de ideias e formação de um caráter disruptivo, ou seja, que rompe padrões convencionais. 

Os profissionais precisam entender o planejamento e todo o embasamento da estratégia por trás da inserção de tecnologia, sendo que a inovação ganha um protagonismo e passa a ser vista como um valor.

Etapa 4 — Planejamento do processo de transformação digital

Nesse momento, a mudança é planejada de forma estruturada. No mapeamento de processos, o resultado esperado é a formação de um diagrama que mostra o fluxo de processos internos da corporação. 

Nele, é importante encontrar lacunas, pontos de atenção e itens que necessitam de melhorias. O documento é analisado e as ações futuras são planejadas, já pensando na implantação de melhorias com a transformação digital. O redesenho de processos é realizado para trazer melhorias com efeitos na produtividade, qualidade, eficiência operacional e otimização dos ciclos de trabalho.

Para fazer o redesenho, é útil pesquisar as melhores práticas de empresas que são um modelo próximo ao que a sua corporação deseja alcançar. O redesenho deve ser alinhado a uma proposta, ser orientado para a meta e ter foco na otimização do fluxo de processos. 

Isso pode ser feito para ajudar os colaboradores na implantação das tecnologias, integração de áreas, melhorias de comunicação e adaptações da equipe para novos serviços e entregas surgidos a partir do mindset digital. O redesenho também contribui para a inserção da metodologia ágil como forma de trabalho na corporação.

Assim, o redesenho dos processos passa por verificar resultados esperados, maneiras que os processos se interligam e avaliar quais são as tecnologias disponíveis para o alcance dos objetivos. Tudo isso deve ser realizado sempre com as adaptações necessárias, de acordo com o que faz sentido para as estratégias e a realidade da organização.

Etapa 5 — Testagem e incorporação de tecnologias disruptivas

A aplicação de tecnologia não é um processo exato. É preciso verificar quais recursos se adaptam melhor às necessidades do negócio. É realizada uma avaliação criteriosa e a seleção cuidadosa das soluções com maior potencial. 

Porém, a transformação digital é muito atravessada pelas metodologias ágeis, o que significa que são feitos diversos testes e avaliações de resultados até chegar a uma escolha definitiva. Mesmo assim, a transformação nunca para. A ideia é reciclar possibilidades constantemente. 

Após testar uma solução, é necessário dialogar com a equipe sobre como foi a experiência no uso da ferramenta. Dependendo dos efeitos, a implementação é realizada ou, então, você procura encontrar saídas para as dificuldades encontradas. 

O impacto deve ser observado em dimensões, como a experiência do usuário, cultura organizacional, colaboração entre as áreas e metodologia de trabalho dos profissionais. Em alguns casos, é preciso desistir de uma possibilidade e buscar alternativas mais adequadas às necessidades e particularidades do negócio. 

Etapa 6 — Adaptação com base nas tendências tecnológicas e evolução constante

Nesse momento, a empresa já está adaptada à transformação digital, ou seja, esse dinamismo foi incorporado à rotina e ao mindset da corporação. De toda forma, o processo continua. 

Novas mudanças tecnológicas aparecem no mercado e o padrão de comportamento do consumidor também está em constante mutação. Assim, a organização busca continuamente estudar os cenários, testar possibilidades, se abrir a novas tecnologias, avaliar resultados e mudar o que não está bom.

2. Utilize metodologias ágeis

O perfil do consumidor atualmente se destaca pelo grande imediatismo. A transformação digital foi estruturada já considerando essa variável e pressupondo a velocidade nos processos. Assim, utilizar metodologias ágeis é indispensável para ter sucesso. 

As metodologias ágeis se caracterizam por ciclos de trabalhos curtos, incrementais e iterativos. Ou seja, são feitas várias entregas e revisões, com a promoção de aperfeiçoamentos a partir do feedback do usuário. O processo se repete muitas vezes, e uma melhoria é acrescentada a partir do que já se tem construído com os acréscimos avaliados com o retorno de quem usa a solução. 

Os valores ágeis precisam ser incorporados à cultura organizacional para o alcance de resultados, já que o agile é base da transformação digital. Comunicação, colaboração, geração de valor, foco na satisfação do cliente e a compreensão da necessidade de mudança constante são esses princípios, que podem promover grandes benefícios e auxiliar no dinamismo da equipe.

3. Empodere as lideranças

A mudança na transformação digital deve partir do topo. A liderança estratégica deve reforçar o empoderamento dos colaboradores e investir na construção das capacidades e habilidades para a aplicação da inovação. 

Esses gestores também precisam estar preparados para a canalização de investimentos em ferramentas de atualização e consequente auxílio na promoção da adaptação da equipe e dos processos. É necessário reforçar, ainda, a comunicação, com a adoção de recursos que contribuam na boa circulação da informação.

4. Desenvolva as capacidades da força de trabalho

Para que a transformação digital aconteça com sucesso, é preciso desenvolver os talentos e habilidades das pessoas da organização, para que elas sejam capazes de sustentar essa mudança. 

Nesse contexto, se destaca a figura do colaborador integrador, aquele que entende o negócio e a tecnologia, que é capaz de traduzir e integrar os novos métodos e processos em caminhos, e modos de trabalho. Ou seja, esse profissional faz a conexão entre o tradicional e o digital.

5. Empodere os colaboradores

A proposta na transformação digital é a criação de uma cultura de valorização da inovação, com estímulo ao aprendizado contínuo, o encorajamento da experimentação e a aprendizagem com as falhas. 

Isso envolve também as repetições sucessivas, o aperfeiçoamento e o feedback, conforme os parâmetros da cultura ágil. Outro ponto importante é a colaboração e o incentivo ao apoio entre profissionais, com fortalecimento do trabalho em equipe e o compartilhamento de conhecimentos.

6. Faça um upgrade digital com as ferramentas do dia a dia

As inovações digitais podem ser aplicadas com diversos objetivos, ampliando as possibilidades de trabalho da equipe e proporcionando condições para a redução de custos e otimização. Elas podem ser aplicadas, por exemplo, para facilitar a análise de informações complexas. 

O big data é um tipo de tecnologia que permite analisar um grande volume de dados estruturados e não estruturados gerados pela interação dos clientes com a marca. Isso é fonte de diversos insights que ampliam as possibilidades da empresa.

Juntamente, a transformação digital pode contribuir para a adaptação dos processos de negócio para facilitar a prototipação, experimentação, testagem com clientes e coleta de feedbacks. É importante considerar a implementação de tecnologias self-service para o uso dos profissionais e parceiros de negócio, o que permite aumentar o controle e promover a redução de custos.

O upgrade digital envolve ainda a modificação de procedimentos operacionais padrão para incluir as novas soluções. Destacamos que a atualização deve considerar a inclusão de novos comportamentos nos sistemas formais de gestão de performance. Isso porque uma nova cultura é implementada e, para avaliar a adaptação, os sistemas de avaliação precisam estar sintonizados com as novas exigências e possibilidades.

Por último, é relevante desenvolver uma rede de equipes multifuncionais com responsabilidade e ética de ponta a ponta. Isso significa criar times mais diversos, com colaboradores de várias áreas, fortalecer a autonomia, reforçar a ética e o compromisso que embasa esse empoderamento.

7. Invista em uma boa comunicação via métodos tradicionais e digitais

Uma comunicação clara com a equipe sobre o processo de transformação digital é muito importante. Afinal, sem as pessoas, o processo não avança. 

Toda a equipe precisa estar ciente sobre os objetivos do negócio e a forma como as inovações digitais vão ajudar no alcance dessas metas. Ela deve compreender também sobre as medidas-chave que vão ser implementadas, como serão os processos de colaboração entre profissionais, os processos inseridos para a colaboração com terceiros e de que forma a digitalização vai impactar na estratégia da empresa.

Além disso, o time precisa ser conscientizado também sobre os produtos digitais que vão ser adicionados ao portfólio e entender quais serão as novas abordagens para conhecer as necessidades do cliente. Para isso, invista em bons métodos de comunicação, mantenha indicadores-chave de desempenho claros e aproveite para criar um senso de urgência como forma de motivar a equipe a se engajar, agir e cooperar.

8. Coloque as pessoas no centro da estratégia

A transformação digital se baseia na implantação de tecnologias em procedimentos tradicionais, promovendo qualidade, melhor experiência do cliente e do usuário e inovação. 

Mesmo que os sistemas de informação tenham grande relevância nessa sequência de mudanças, os protagonistas do processo são as pessoas. É preciso promover a humanização nas experiências digitais, colocando o indivíduo no centro em vez das tecnologias.

Isso envolve a integração de setores, para melhorar a colaboração e o apoio mútuo na equipe. Além disso, reforce a transparência e a ética nas iniciativas, sempre se preocupando em promover uma boa experiência do colaborador. Valorize também o aprendizado, investindo no potencial do time.

9. Utilize dados para a tomada de decisões

Diariamente é gerado um grande volume de dados sistematizados e não estruturados. A transformação digital possibilita fazer uso desses conteúdos de forma estratégica, seja pelas ferramentas de big data ou pelo uso de recursos diferentes, mas muito funcionais como o analytics. 

Diante do dinamismo do mercado, iniciativas baseadas em intuições e opiniões podem resultar em alguns equívocos. Considerar a experiência profissional é importante, mas esse saber deve ser associado aos dados e métricas. Afinal, estamos diante de uma transformação de mindset na corporação e diversas mudanças estão sendo incorporadas. Dessa forma, invista em tecnologia para gerenciar dados e extrair insights.

10. Foque na experiência do cliente

O cliente mudou bastante nos últimos anos, se tornando mais participativo, questionador e empoderado para investigar as atividades da empresa. Hoje, ele se conecta e interage com a organização de forma muito dinâmica, muito diferente do telespectador dos finais dos anos 90. Assim, é preciso ter uma proposta de valor que acompanhe essa postura, ou seja, ela está sujeita a mudanças de acordo com a demanda do consumidor.

Veja como contar com uma empresa especializada nisso

A Globant oferece o serviço e ajuda seus colaboradores a entender o processo de transformação digital que eles oferecem para os clientes. Podemos contribuir no controle e redução de custos, gerando oportunidades de automação e uso mais intenso de tecnologia. Endereçamos dores diversas de negócio como finanças, logística, suprimentos, controle e gestão dos processos de negócios (ERP) e relação com o consumidor final. 

Promovemos serviços de consultoria e análise para você dedicar atenção às necessidades de seus próprios clientes, gerando, com isso, oportunidades de CRM e realmente criando soluções de inovação.

Unificamos a visão estratégica e a tecnologia, gerando um diálogo e alinhamento entre as soluções propostas para a empresa. Por meio de nossa metodologia única de Studios, é possível desenvolver soluções customizadas para cada empresa, a fim de atender às suas demandas ligadas à tecnologia e inovação. 

Assim, você encontra um parceiro de inovação que traz as possibilidades que sua empresa está precisando. Nós nos preocupamos também em oferecer soluções em automação menos dependentes de intervenção humana, proporcionando mais agilidade em leitura e transações, no controle de relacionamento com clientes, evitando a falta de visibilidade e a perda de oportunidades.

A transformação digital envolve a aplicação do mindset ágil e a inserção de uma série de novos valores na corporação. A mudança acontece com a mobilização da equipe e a promoção de uma comunicação concisa, estruturada e ética. 

A aplicação de tecnologias permite potencializar processos, promover desenvolvimento e incentivar a aprendizagem e o feedback. Para isso, é essencial que a liderança esteja habilitada para auxiliar no direcionamento das iniciativas e fornecimento de apoio para os colaboradores. 

Gostou do conteúdo? Aproveite e entre em contato com a Globant!

Facebooktwitterredditlinkedinby feather

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>