Como mudar a mentalidade de uma empresa inteira? A tarefa parece complicada, mas a verdade é que já existem estudos nesse campo, dedicados a ajudar os gestores a implementar uma alteração significativa de comportamento dentro do ambiente corporativo.

É o caso do mindset, uma expressão que designa a mentalidade corporativa. O mais interessante é que existem dois tipos diferentes desse conceito, com um terceiro surgindo com a evolução da tecnologia.

Para que você entenda melhor, preparamos um post especial sobre o tema. Nele, você saberá mais sobre o conceito, as diferentes mentalidades e as formas de implementar essa mudança em sua empresa. Boa leitura!

O que é mindset?

Nada melhor do que buscar a definição dos principais especialistas. Uma delas é a norte-americana Carol S. Dweck, cujo trabalho envolve as psicologias social e de desenvolvimento. Ela propõe uma tese que pode parecer polêmica para alguns: de acordo com Dweck, o sucesso não está exclusivamente ligado a talentos ou habilidades especiais.

Isso porque, segundo Dweck, o sucesso está diretamente conectado ao modo como encaramos a vida — isto é, o mindset. O conceito também pode ser definido como a configuração mental que cada indivíduo apresenta.

Na tradução simples, o termo significa “modelo mental”. Assim, ele nada mais é do que a maneira com a qual cada um de nós pensamos e nos relacionamos com o mundo. Trata-se da configuração dos pensamentos, e é a partir dele que enfrentamos as mais diversas situações do nosso cotidiano, inclusive nossas responsabilidades profissionais.

Também podemos dizer que o conjunto de ideias, valores e crenças que um indivíduo tem é diretamente responsável pelo mindset. Afinal de contas, é por meio desses critérios que o indivíduo consegue compreender e analisar tudo o que acontece em sua vida, influenciando suas decisões e atitudes.

Com a evolução da tecnologia e a sua consequente utilização em diversos ramos profissionais, o mindset digital passou a se tornar uma vantagem competitiva. Isso porque as empresas passaram a entender o valor de agregar essas soluções no próprio trabalho. Esse fenômeno também é conhecido como transformação digital.

Quais são os tipos de mindset?

Agora, mostraremos as diferentes mentalidades que podemos encontrar no ambiente corporativo.

Mindset fixo

O que significa um profissional com mindset fixo? Esse termo é utilizado para designar aquelas pessoas que acreditam que as capacidades, habilidades e inteligência que elas possuem agora já são o suficiente para enfrentar os desafios. Além disso, são menos propensas a acreditar que ainda têm muito a evoluir.

Não à toa, muitos trabalhadores com esse mindset costumam acreditar que certas habilidades são “dons”, que não se transformam com cursos ou estudo, por exemplo. Esses funcionários são mais vaidosos e acreditam que certas capacidades são inatas — ou você tem, ou não tem.

Embora esse mindset tenha as suas vantagens — como a confiança —, ter muitas pessoas com essa mentalidade no time pode ser danoso aos projetos. Isso porque essas pessoas têm um teto mais baixo de evolução. Assim, caso a sua empresa enfrente problemas muito complicados, a tendência é que esses trabalhadores não enxerguem nisso uma oportunidade para evoluir, mas sim um obstáculo insolúvel.

Além disso, aqueles que têm um mindset fixo raramente assumem a responsabilidade por erros e falhas, buscando sempre algum tipo de desculpa para justificar um resultado aquém do planejado. Essas pessoas dificilmente mudam de ideia, o que pode atrapalhar a flexibilidade nos projetos.

Mindset de crescimento

Você já deve ter encontrado diversos representantes do mindset fixo em sua jornada profissional, mas também pode ter se deparado com pessoas que acreditam na dedicação, no desenvolvimento profissional e, principalmente, na capacidade de aprender algo novo sempre.

No segundo caso, temos as pessoas associadas ao mindset de crescimento. Ao contrário do fixo, essas pessoas acreditam que obstáculos e limitações são boas oportunidades para atingir a superação e o aprendizado. Não fogem de desafios e são mais resilientes, encarando problemas supostamente insolúveis de forma mais otimista.

Para os profissionais que contam com essa mentalidade, é bem mais fácil acreditar no aprendizado, no trabalho duro e na capacidade de adquirir experiência por meio dos obstáculos enfrentados. Acreditam que o esforço é fundamental e não caem naquela história de que certas habilidades são inatas.

Quando um líder propuser um treinamento ou capacitação nova, serão os funcionários com esse mindset que se empolgarão. Já os profissionais com uma mentalidade mais fixa serão mais propensos a acreditar que buscar novas qualificações é uma perda de tempo.

Mindset digital

Com a utilização crescente da tecnologia em diversos ramos de atuação, podemos dizer que um novo mindset surgiu: o digital. Ele pode até ser mesmo considerado uma vertente da mentalidade de crescimento, uma vez que essas pessoas são mais abertas a inovações.

Como falamos anteriormente, o mindset, de forma bastante simples, pode ser traduzido por “mentalidade” ou até mesmo “forma de pensar”. Assim, quando adicionamos o termo digital a esse conceito, podemos definir aquelas pessoas que acreditam que a implementação de tecnologias é positiva e moderniza a empresa.

O mindset digital também está ligado à chamada “indústria 4.0”, um conceito que descreve a integração cada vez maior de tecnologias e da automação ao ambiente profissional. Para muitos líderes, a capacidade de unir essa preocupação tecnológica com uma mentalidade de crescimento é um dos atributos mais importantes para o profissional do futuro.

Hoje, é comum encontrar nas empresas tecnologias como análise de dados, Big Data e inteligência artificial. Elas são ótimas para descobrir tendências de mercado, uma característica bastante relevante dentro de um contexto de mindset digital.

Podemos dizer que o profissional que combina os mindsets de crescimento e digital está no caminho certo para se tornar uma liderança estratégica dentro das empresas — e, consequentemente, um colaborador desejado por diferentes organizações.

Como o mindset influencia na gestão das empresas?

Muitos profissionais costumam se esquivar de desafios, preferindo atuar sempre na zona de conforto. Esse tipo de colaborador não é muito útil na hora de solucionar problemas complexos, uma vez que essas pessoas não buscam o crescimento contínuo e o aperfeiçoamento dos seus conhecimentos.

Um mindset de crescimento busca justamente solucionar esse problema. Isso porque as suas práticas visam garantir que os trabalhadores saiam da sua zona de conforto e desenvolvam novas habilidades.

Isso é importante tanto para os colaboradores como para departamentos e organizações, uma vez que as empresas estimulam o desenvolvimento dos funcionários — e, consequentemente, elevam o seu capital humano.

Empresas e departamentos que não estimulem a melhoria de desempenho por parte dos colaboradores se tornam mais suscetíveis aos prejuízos decorrentes de uma baixa produtividade. Com isso em mente, os líderes e gestores de RH, entre outros profissionais no topo da hierarquia, precisam estar sempre atentos para identificar o padrão mental dos seus liderados.

Esse comportamento facilitará a compreensão geral sobre as equipes e permitirá realizar um diagnóstico mais preciso sobre o tipo de mindset que existe dentro da empresa e o que pode ser feito para modificar padrões erráticos.

Agora, mostraremos quatro maneiras específicas para que você entenda como o mindset influencia na gestão de um negócio.

Superação de desafios e resolução de problemas complexos

Os profissionais que correspondem ao padrão de mindset fixo são os mais propensos a fugir de desafios e reclamar de forma contínua diante de problemas complexos. Já os trabalhadores que são identificados dentro do padrão de crescimento são aqueles que costumam encarar esses obstáculos de forma positiva.

Isso porque os colaboradores de mindset fixo são norteados pelo desenvolvimento, tanto pessoal como profissional. Portanto, situações complexas são excelentes para testar os seus conhecimentos e habilidades, além de proporcionar aprendizados que só enriquecerão o repertório desse trabalhador.

Dessa forma, podemos dizer que as situações desafiadoras são os cenários perfeitos para que os profissionais evoluam. Afinal, independentemente do segmento, o mundo corporativo é composto de imprevistos, obstáculos, desafios e crises.

Nesse sentido, contar com uma equipe bem preparada e orientada à mentalidade de crescimento é uma maneira de contar com mais pessoas habilitadas a encarar os desafios de peito aberto. Ter equipes com essas características é crucial para qualquer empresa que queira se manter competitiva no mercado.

Aprendizado contínuo

Ao observar o quadro de funcionários de forma mais atenciosas, muitos gestores podem se dizer satisfeitos com o nível de atualização profissional dos colaboradores. Do mesmo modo, alguns líderes podem achar que há uma necessidade de capacitação para que a empresa consiga expandir suas operações.

O aprendizado contínuo é um dos atributos do mindset de crescimento. Trata-se de buscar manter os conhecimentos das equipes em dia, assim como o incentivo para que eles se tornem profissionais cada vez mais qualificados.

Dessa forma, esses trabalhadores não estarão parados no tempo e habituados aos mesmos desafios de anos atrás. Em um mercado cada vez mais dinâmico, os conhecimentos, as habilidades e as técnicas que foram absorvidas devem ser adaptas e atualizadas.

Assim, as empresas que não acompanharem a evolução do mercado correm sério risco de estagnação — o que leva a processos pouco lucrativos e desperdício de oportunidades. Para evitar isso, nada melhor do que incentivar um padrão de crescimento dentro da organização.

Isso pode ser feito tanto pelos líderes dos setores em geral como pelos gestores de RH. É crucial que se incentive a busca por aprendizado e atualização contínuas, de forma a manter em seu quadro trabalhadores alinhados com a realidade do mercado atual.

É muito importante, inclusive, que essa mentalidade faça parte do processo de recrutamento. Assim, os gestores de RH devem analisar quais candidatos se mantêm ligados às novidades e às tecnologias, assim como checar as ações efetivas que esses trabalhadores em potencial têm conduzido para melhorar suas habilidades.

O fundamental é não recrutar pessoas que ainda são dotadas de uma mentalidade que a empresa quer superar. Aqueles candidatos que se orgulham de dizer que trabalham “à moda antiga” são justamente pessoas ligadas a um mindset fixo.

Capacidade de colaboração

Outra mudança positiva é o crescimento da competitividade. Colaboradores e líderes com padrões fixos de atuação apresentam dificuldade em lidar com erros, chegando mesmo a terceirizar a responsabilidade pelas falhas cometidas. Esse comportamento é especialmente nocivo, já que gera conflito entre as diferentes equipes e desmotiva os funcionários envolvidos.

Por outro lado, os colaboradores com uma mentalidade de desenvolvimento são mais propensos a colaborar com outras pessoas em prol de objetivos em comum. Em empresas que prezam pelo trabalho coletivo para a obtenção de resultados, essa alteração de padrão é sempre bem-vinda.

Melhoria nos indicadores internos

Por fim, outro argumento fundamental em favor da implementação de um mindset de crescimento é a melhoria geral da performance da empresa. Desse modo, indicadores como produtividade, satisfação, engajamento e desenvolvimento recebem um impacto positivo com a alteração no comportamento e nos valores da companhia.

Uma vez que os líderes passam a ser mais empáticos e destinados a elogiar e premiar o bom trabalho dos liderados, os colaboradores tendem a seguir esse exemplo. Isso favorece o bom relacionamento entre as equipes, elevando a satisfação interna, o engajamento com as atividades e, consequentemente, a produtividade geral.

Também é interessante notar as melhorias que ocorrem quando os colaboradores são influenciados pelo mindset de crescimento. Problemas mais complexos passam a ser resolvidos com agilidade e eficiência — já que todos passam a buscar mais conhecimento e capacitação para lidar com os obstáculos do dia a dia.

Por que é importante construir um mindset na empresa?

O principal objetivo em adotar essa estratégia é fazer com que esses valores sejam permanentemente agregados à cultura organizacional. Uma empresa que se orienta pelo crescimento não se contenta com as vantagens competitivas atuais, mas em desenvolver capacidades que perdurem e gerem bons resultados para o futuro.

Um estudo recente, intitulado The Future Jobs Report 2018, conduzido pelo Fórum Econômico Mundial, mostra bem a necessidade de se reinventar. Segundo os resultados colhidos, ao menos 54% dos profissionais terão que ser “requalificados” até 2022.

Um mundo em constante mudança exige profissionais com novas capacidades. Entre as habilidades que serão o futuro do trabalho, estão características totalmente alinhadas ao mindset de crescimento:

  • pensamento analítico;
  • comunicação;
  • proatividade;
  • liderança;
  • flexibilidade;
  • inteligência emocional.

Como mostramos anteriormente, o mindset de crescimento com foco na evolução tecnológica é uma das formas que mais têm se destacado nos dias de hoje. Para implementá-lo em uma empresa, primeiro precisamos lidar com as mudanças trazidas pela transformação digital, além de saber como atuar de acordo com essas informações e mudanças.

Desse modo, o mindset é uma espécie de reconfiguração da mentalidade dos trabalhadores de uma empresa diante dessa nova realidade. Contudo, a aplicação envolve uma mudança profunda nos processos e na cultura organizacional.

Como ter um mindset de crescimento empresarial?

Como vimos nos tópicos anteriores, as mudanças inseridas por um mindset de crescimento e evolução digital alteram a estrutura e a cultura organizacional da empresa. Agora, falaremos das principais etapas para obter essa mudança.

Proporcione a capacitação tecnológica da equipe

Mesmo em empresas de pequeno e médio porte, é comum encontrar várias gerações de pessoas no quadro de funcionários. Assim, os líderes encontram trabalhadores com mais ou menos domínio de tecnologias, assim como funcionários que estão mais ou menos dispostos a dominar essas ferramentas.

No contexto atual, é imprescindível utilizar novas tecnologias para crescer e gerar vantagem competitiva. Como lemos anteriormente, a evolução digital está diretamente ligada ao mindset fixo. Portanto, é fundamental capacitar os colaboradores para o entendimento e a utilização dessas ferramentas.

O importante é entender que tão importante quanto encontrar e investir nos melhores recursos tecnológicos, é ter uma equipe pronta para utilizar essa tecnologia e extrair resultados melhores. Nesse cenário, o papel dos líderes é fundamental.

Isso porque são os chefes que devem ser os maiores apoiadores e propagadores da utilização de novas tecnologias. É preciso que ele explique, de forma clara, como a adoção de soluções digitais está diretamente ligada ao crescimento. Esse é um passo enorme na mudança de mindset dentro da organização.

Invista em pessoal qualificado

Como o investimento em tecnologia é uma espécie de catalisador para a mudança de mindset, a qualificação dos profissionais é a chave para unir o melhor de dois mundos: a implementação de ferramentas inovadoras, aliada ao conhecimento para extrair o melhor delas.

Portanto, antes de contratar, verifique a possibilidade de treinar pessoas que já estejam no quadro de funcionários. Esses trabalhadores já estão habituados às atividades do negócio, o que facilita a adaptação aos novos paradigmas.

Forme bons líderes

Suponhamos que a sua empresa queira urgentemente implementar um mindset de crescimento, por meio de novas tecnologias e contando com o apoio dos funcionários. Contudo, os líderes atuais da sua organização estão estagnados com uma mentalidade fixa e pouco preparados para a mudança. E agora?

Bom, para remover esse problema, nada melhor do que formar bons líderes. A sua empresa precisará de pessoas inovadoras e resilientes, capazes de transmitir aos demais colaboradores as vantagens de adotar um mindset de crescimento e evolução digital.

O papel do líder é lidar com esses impactos e ser um pilar na transição para o novo modelo. Por isso, busque treinamento de alto nível para esses profissionais e conscientize-os sobre a necessidade de adotar uma mentalidade de crescimento.

Atenção à contratação

Além disso, utilize novos métodos de contratação pessoal. Analisar o currículo é importante, mas nem sempre as pessoas com o maior número de experiências são as ideais para o cargo. Uma boa ideia é ficar atento ao chamado CHA: características, habilidades e atividades.

O importante, aqui, é que os profissionais de RH sejam capazes de identificar pessoas que apresentem a flexibilidade necessária para integrar um mindset de crescimento. Pessoas que estão acostumadas a atuar somente de uma maneira podem não ser a melhor adição ao quadro de funcionários.

Estimule os colaboradores a conhecerem melhor os clientes

Há uma relação direta entre o conhecimento dos clientes e a implementação de um mindset de crescimento com foco na inovação digital. Antes mesmo de fidelizar os consumidores por meio da prestação de serviço ou da venda de produtos qualificados, é preciso conhecê-los.

É necessário entender quem é o seu público-alvo, quais são os seus problemas, o que ele consome e como fidelizá-lo de acordo com seu perfil. Só assim será possível oferecer produtos diferenciados.

Para obter isso, nada melhor do que desenvolver um mindset que envolva o uso de tecnologias e dos meios digitais. Assim, é preciso desenvolver uma mentalidade de inovação dentro das equipes, até mesmo como uma forma de direcionar o foco para esse tipo de cliente.

As empresas que adotam um mindset que envolva a tecnologia como um modo de melhorar os serviços que prestam aos clientes estarão no caminho certo para implementar uma mentalidade duradoura de crescimento.

Incentive a colaboração

Depois das discussões, é a hora de realizar ações efetivas. Toda empresa conta com pessoas com crenças, percepções e comportamentos diferentes — e alinhar todos eles não é tarefa fácil. Isso porque algumas tentarão impor as suas visões, gerando conflitos que podem ser produtivos ou não.

Cabe aos líderes incentivar a colaboração, mas também estabelecer limites contra abusos. Afinal, uma empresa que deseje implementar um mindset de crescimento terá o seu objetivo dificultado caso o clima organizacional não seja dos melhores.

Para incentivar a colaboração e o respeito mútuo, os líderes podem realizar encontros presenciais descontraídos. Os gestores de RH também podem estimular a realização de dinâmicas de grupo para que a camaradagem floresça dentro da organização.

Com o tempo e um cronograma bem definido de encontros, os líderes conhecerão melhor os seus liderados e saberão desenvolver projetos de acordo com as características de cada colaborador. Um mindset de crescimento deve, afinal, unir inovação tecnológica à valorização dos funcionários.

Como pudemos ver no artigo, uma mudança de mentalidade dentro da empresa é possível. As organizações que desejam colher resultados cada vez melhores devem unir o conhecimento tecnológico, o investimento em soluções digitais e o crescimento contínuo.

Nesse contexto, os mindsets de crescimento e digital caminham juntos e devem ser explorados para modernizar as empresas. Felizmente, a tecnologia é acessível a diferentes tipos de negócio, e as organizações só têm a ganhar.

Gostou do artigo e quer continuar conferindo outros conteúdos semelhantes? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro de cada uma das nossas novidades!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>