A COP 26 terminou, e aqui estão nossas lições.

Foi o primeiro COP da Globant, e talvez por causa do profundo comprometimento com que todos nós genuinamente trabalhamos, ou talvez porque contamos com nossa capacidade de conexão, operacional e de invenção disruptiva, nossos resultados gerais foram incrivelmente positivos.

A importância do conhecimento

Sem consciência, conhecimento e preparação, podemos cometer grandes erros. Se tivéssemos conhecido mais sobre o hidrogênio no século passado, ou tivéssemos investido mais na compreensão dos seus processos, ou simplesmente ter colocado mais atenção nele por meio das informações compartilhadas, poderíamos hoje, estar respirando uma atmosfera mais pura e explorando plenamente os processos de energia limpa. 

Conhecimento, compartilhamento e defesa são essenciais para os avanços científicos e tecnológicos, e não devemos subestimar sua capacidade de levar as pessoas à ação! A COP 26 combinou os setores público e privado, de forma que, grande parte das empresas particulares será capaz de compartilhar, defender e reivindicar compromissos de emissões zero líquidas com cadeias de valor e fornecimento inteiramente novas. Aqui na Globant, nossos mais de 21.000 funcionários continuarão a ser uma voz pelo bem maior da rede zero. Falar sobre o que está sendo falado pode ser extremamente relevante neste processo de mudança! 

Um plano de ação

As nações concordaram em fazer mais. Eles discutiram como financiar iniciativas relacionadas à situação entre as economias estabelecidas e emergentes, e estão trabalhando em um plano de ação. Algo fundamental, que escutamos em uma das palestras da Bloomberg foi: “Dê-me um plano simples, fácil e direto … mas apenas me dê um plano!” Atualmente há um plano para o Artigo 6 sobre como criar ou recriar um mercado de comércio de carbono, tendo o CO2 como a nova commodity. Existem também regras de transparência para relatar as emissões; outro passo positivo para relatar e comercializar carbono.

Energia de origem fóssil e metano

Podemos não ter conseguido eliminar a energia proveniente do carvão, mas estamos cada vez mais perto de desincentivar o uso da energia baseada em fósseis. Como disse John Kerry, “Antes da eliminação, você precisa diminuir a utilização”. E a promessa do carvão, embora não seja tão forte quanto gostaríamos, está se movendo em direção a eliminação gradual de tais fontes fósseis.

Agora temos o compromisso do metano vinculando a indústria de energia da produção de gás natural e petróleo sem metano. Se isso fosse cumprido, 60% das emissões poderiam ser tratadas e reduzidas. Para resolver a atual crise de energia, precisamos de um plano de transição energética. Precisamos sentar e trabalhar em estratégias limpas, complementares e inclusivas para a energia e definir solidamente o caminho das transições justas de energia. Além disso, a conversa sobre soluções energéticas deve ser baseada no conhecimento, e não apenas na geopolítica!

Combatendo o desmatamento

Quando chegamos a COP 26, não tínhamos certeza se a promessa de trilhões de árvores era uma proposta real com base científica. Agora sabemos que o sumidouro de carbono de 1 milhão de árvores pode realmente nos ajudar a eliminar as emissões, portanto, esta proposta agora tem nosso total apoio.

O poder da proximidade

Cerca de 40.000 pessoas compareceram a Glasgow e se comprometeram a realizar o trabalho com propósitos específicos. Precisamos de forças de trabalho e forças-tarefa que expandem suas mentes criativas para encontrar, propor e implementar soluções. Estamos todos cansados ​​de ouvir as mesmas palavras, pelo 26º ano consecutivo, mas a história demora a se materializar; o tratado de Paris foi assinado apenas 5 anos atrás e, desde então, tivemos que enfrentar uma pandemia global  também. 

A Globant chegou ao COP 26 com uma ampla equipe preparada para aproveitar a energia do coletivo presente. Propusemos soluções tecnológicas sustentáveis ​​para net-zero, apresentamos nossos prêmios que incentivam a inclusão das mulheres no setor da tecnologia e STEM, propusemos novos fundos para o uso adequado da tecnologia e compartilhamos nosso conhecimento sobre sustentabilidade.

Agora voltamos para casa, para os muitos lugares do mundo no qual a Globant habita. E embora eu possa não ter sido capaz de garantir um preço ou tributação para o CO2 ou abolir ou eliminar o carvão, voltamos para casa cheios de ideias, incentivados a fazer mais, fazer melhor … e através da tecnologia, fazer isso rapidamente!

Mal podemos esperar para participar da COP 27 no Egito e esperar que, até lá, o pensamento e a ação disruptiva sejam unificados. Por meio dos rebeldes da tecnologia, líderes e seguidores buscam zerar as ações mais poluentes em nossas economias.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>