A última edição do Converge da Globant em novembro de 2021 destacou como a reinvenção pode levar as empresas a prosperarem em uma época que sofre constantes transformações. Criamos uma série especial de conversas convergentes para continuar explorando alguns dos temas mais importantes que discutimos durante o evento. Nesta série, conversamos com Santiago Siri, presidente da Democracy Earth Foundation. Durante o bate-papo à beira da lareira entre Alan Verbner da Globant, cofundador da Atix Labs, uma divisão da Globant, e a Siri, aprendemos sobre os aplicativos blockchain e seu potencial para impactar a vida das pessoas. A seguir destacamos os quatro pontos principais da conversa.

  1. Através das possibilidades da tecnologia blockchain, nivelamos o campo de jogo

A Siri afirma que as oportunidades de inovar por meio do blockchain são enormes. “Blockchain poderia ser usado para fornecer uma renda básica universal (UBI) que seria a mesma para todos, independentemente do país onde nasceram.” O UBI, também conhecido como Renda do Cidadão, é um programa de pagamento garantido pelo governo para que cada cidadão cubra o custo básico de vida recebendo um pagamento mensal.

“A coisa mais emocionante sobre o Crypto UBI é que alguém em Mumbai pode obter o mesmo valor que alguém em Connecticut ou Los Angeles. É uma rede de condições iguais.”

Crypto UBI é uma plataforma baseada em blockchain que distribui criptomoedas na forma de uma renda básica universal. Em um esforço conjunto com a Democracy Earth, a Proof of Humanity está lançando um UBI Token, onde seus humanos verificados serão os primeiros destinatários UBI totalmente descentralizados.

Embora o Ethereum Blockchain ainda esteja começando, a Siri está confiante no potencial de tecnologias de dimensionamento que podem oferecer UBI a todos de maneira sem permissão.

  1. A inovação é amplificada através do poder das comunidades

A Siri está ciente de como a capacidade de coordenação de uma rede descentralizada pode impulsionar a inovação, referindo-se especificamente à forma como o projeto Prova de Humanidade foi assumido pela comunidade. Em relação à capacidade de inovação e à necessidade constante de descobrir os próximos a serem reconstruídos, a experiência teve alguns paralelos com uma startup, isso significa ter uma mentalidade focada em sempre criar algo novo para superar o que já existe. A UBI tornou-se um esforço conjunto entre a Democracy Earth Foundation e a Kleros, uma cooperativa que vem construindo seus sistemas no Ethereum.

Desde o início, lembra Siri, a comunidade começou a fazer esforços de coordenação, como canais do Telegrama. Esses estavam endossando novos membros para que eles pudessem participar do registro da Prova de Humanidade. Eles também tentaram financiar coletivamente perfis que não tinham dinheiro suficiente. A extensão da capacidade universal e global de coordenação o surpreendeu.

“É um DAO democrático, e estamos vendo tudo isso realmente sendo executado, trabalhando, tomando decisões, aplicando e vendo como essas mudanças melhoram a experiência dos usuários, como um esforço coordenado construído puramente por meio de contratos inteligentes e nada mais. Esse é um processo muito interessante e parece diferente da startup centralizada tradicional.”

  1. Construir contratos inteligentes representa um mundo de oportunidades

O teste é sempre uma parte importante do desenvolvimento, e a Siri ressalta que, antes de saltar para a robustez, uma boa prática na arquitetura cliente-servidor tradicional é o desenvolvimento orientado em testes (TDD) “… escrever os testes é provavelmente a grande maioria do código que você acabará escrevendo, ainda mais do que o próprio código do Smart Contract.” Ela recomenda tentar torná-lo o mais pequeno e conciso possível, não mais que 100-200 linhas.

Outra consideração é a imutabilidade. “Isso é o que dá valor a essas redes. O Ethereum tem a propriedade particular de não permitir que a história seja alterada, devido à sua imutabilidade, que é o que ajuda a construir a legitimidade.”

A composição também desempenha um papel fundamental. A Siri afirma que construir com Ethereum permite acesso sem permissão, no sentido de que você não precisa pedir permissão para chaves de API. “Você pode acessar outros contratos inteligentes e construir seu próprio sistema aproveitando qualquer um desses milhões de contratos implantados na rede principal.”

A liquidez também deve ser considerada, pois alguns desses recursos têm mais dinheiro do que o banco central de alguns países. É por isso que a comunidade sugeriu um modelo de doação para a UBI. A Siri explica que eles têm um fundo mútuo que aplica capital e gera 10% de juros. Você pode usar esse dinheiro dos juros para queimar UBI, para não queimar com o capital gerando os juros.

  1. O futuro de DeFi e Crypto será parcialmente moldado por nossas lições do passado

Embora ainda não esteja escrito, a Siri acredita que as tecnologias DeFi podem coexistir com as finanças tradicionais e dependerá em grande parte de como os bancos gerenciam essa adoção, regulamentação e transição. Ela diz que El Salvador é um país que está permitindo a legalização de bitcoins e, por causa dessa ação, muitas empresas DeFi estão se instalando lá.

No entanto, considere que as criptomoedas são como o oceano. “Você não pode traçar fronteiras no meio do oceano, mas pode construir portos, alfândegas, pontos de estrangulamento, onde você possa receber algum tipo de imposto, mas o que acontece no oceano é que este é uma área pouco livre.”

Na criptografia, as transações podem ser feitas com outra pessoa sem permissão. À medida que surgem tecnologias novas e aprimoradas, essa opção é uma realidade que eventualmente exigirá que os governos adotem, e os mais sábios a usarão para beneficiar seus cidadãos. Eventualmente, garante Siri, haverá uma mudança geracional nos governos em relação a DeFi e Crypto, embora possa levar muitos anos, como aconteceu com a indústria de telecomunicações. Essa transição levou 50 anos porque depende da saída de uma geração, permitindo que a seguinte assuma o controle e faça essas grandes mudanças.

“Agora sinto que por trás de cada protocolo, tecnologia legal, white paper inteligente, o grande segredo está e são as pessoas… uma das melhores coisas do Ethereum é a comunidade. O elemento humano é muito importante e não devemos esquecê-lo quando construímos tecnologia para os humanos.”

Pensamentos finais

A Siri nos lembra que no mundo da tecnologia há muita inovação que se concentra apenas na realidade digital, mas esquece a realidade física. Por exemplo, “na cidade de São Francisco, onde está sendo construído um mundo digital extraordinário, ao mesmo tempo em que há um grande aumento da marginalização nas ruas”. Ela culpa isso como um efeito colateral de ser cegado pelo software, onde as pessoas pararam de ver seu impacto real no mundo físico. Ela também nos encoraja a focar na construção de tecnologias que realmente tenham um impacto positivo e real nas nossas comunidades e bairros.

Saiba mais assistindo aqui a conversa completa.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>